O que é compaixão?

Segundo a Wikipedia, Compaixão (do latim compassione) pode ser descrito como uma compreensão do estado emocional de outrem; não deve ser confundido com empatia. A compaixão frequentemente combina-se a um desejo de aliviar ou minorar o sofrimento de outro ser senciente, bem como demonstrar especial gentileza com aqueles que sofrem. A compaixão pode levar alguém a sentir empatia pelo outro. A compaixão é frequentemente caracterizada através de ações, na qual uma pessoa agindo com espírito de compaixão busca ajudar aqueles pelos quais se compadece.

Ter compaixão é permanecer num estado emotivo, enquanto tento compreender o outro, sem invadir o seu espaço.

Além disso a compaixão é a capacidade de ver-se ou de sentir-se no lugar do outro, incondicionalmente, sem qualquer tipo de julgamento.

Esse comportamento reduz o medo e permite uma abertura maior em relação a outra pessoa, que consiste em um estado de não violência, de não agressão. É uma atitude mental baseada no desejo de liberar o outro do sofrimento. Por exemplo, imaginar-se no lugar do seu chefe, do seu filho, ou daquela pessoa com quem você tem algum tipo de conflito. “Calçar” os sapatos do outro, permite entender porque aquela pessoa atua de determinada maneira. Compreendendo e aceitando isso, seu estado emocional se modifica.

A compaixão é também desejar o bem do outro, independente de condições. Praticar a compaixão, contribui para uma boa saúde emocional, induzindo a uma paz mental e a um sentimento de felicidade duradoura, pois todos os seres têm exatamente o mesmo direito de ser feliz.

O verdadeiro sentimento de compaixão nos traz força interior que contribui para que nós, ao enfrentarmos experiências negativas, estas se tornem menos dolorosas.

Dalai Lama nos ensina que quando alguns experimentam tragédias que são involuntárias, se sentem enterrados em uma montanha de sofrimento. Mas, por outro lado, quando se pensa voluntariamente nos problemas dos outros, se procura alivia-los de seus sofrimentos, essa atitude voluntária traz uma abertura para o ser. Dessa maneira, mesmo em meio a problemas pessoais, isso traz uma base de clareza, e a pessoa será capaz de se sustentar.

A prática da compaixão também é imensamente benéfica para a saúde. De acordo com a medicina, os que tem mais compaixão, são mais interessados pelos outros, geralmente são mais saudáveis quando comparados com pessoas egoístas. Os egoístas sofrem mais frequentemente de enfartes e outras doenças. (Dalai Lama).

Existe uma forma para exercitar a compaixão. Eu costumo fazer sempre isso. Faz bem e você aprende principalmente a não julgar ninguém, que é uma das coisas mais difíceis de ser praticada pelo ser humano!

Este é um exercício que você pode fazer em qualquer lugar e a qualquer hora, onde existam pessoas reunidas (aeroportos, shopping, parques, praia, etc.)

– Primeiro escolha uma pessoa – que seja desconhecida. A uma certa distância, discretamente concentre nela sua atenção e siga estes cinco passos:

Repita para si mesmo:

– Assim como eu, esta pessoa também está buscando alguma felicidade para sua vida;

– Assim como eu, esta pessoa está tentando evitar o sofrimento em sua vida;

– Assim como eu, esta pessoa está conhecendo a tristeza, solidão e a dor;

– Assim como eu, esta pessoa está buscando satisfazer suas necessidades;

– Assim como eu, esta pessoa está aprendendo sobre sua vida. (Harry Palmer)

Faça um teste e conte aqui nos comentários como foi! Vamos exercer a compaixão!

Um grande abraço e até o próximo post!

palestrante-zilah-fioravanso-logo

 

Campos com * são obrigatórios