Atos diários de bondade e altruísmo podem promover felicidade e maior satisfação de vida global.

Em um estudo publicado no The Journal of Social Psychology, três grupos de pessoas foram dadas tarefas diferentes. Todos os dias, durante 10 dias, um grupo foi obrigado a realizar um ato de altruísmo, outro tinha que tentar algo novo, e o terceiro grupo foi orientado a viver como fariam normalmente. Os dois primeiros grupos relataram níveis mais elevados de felicidade após esse período, sugerindo que novas atividades e atos caridosos podem melhorar significativamente a nossa satisfação na vida.

Se você mantiver esse ideal durante todo o ano, é provável que seja mais feliz do que aqueles que não fazem nada pelos outros. De acordo com pesquisadores da Universidade de Bristsh Columbia e da Universidade de Harvard, dinheiro pode comprar felicidade, mas só quando você está comprando coisas para outras pessoas.

Lembro de uma parábola que minha mãe contava, quando eu ainda era criança. Conta-se que um agricultor, todos os anos, colheita após colheita, ganhava o prêmio de melhor milho cultivado naquela região. Certa vez ele foi entrevistado por um repórter, que surpreso descobriu que o premiado agricultor compartilhava a semente do milho especial, com seus vizinhos.

Para o repórter, aquele comportamento não fazia sentido, por isso perguntou:

“Por que você compartilha sua melhor semente de milho, com seus vizinhos, se eles estão competindo com o seu, a cada ano?”

“Você não sabe?” Respondeu o agricultor. “O pólen do milho maduro é levado pelo vento de campo a campo. Se meus vizinhos cultivarem milho de qualidade inferior, com o tempo a polinização prejudicará a qualidade do meu milho. Se eu quiser cultivar milho de boa qualidade, eu tenho que ajudar meus vizinhos a fazerem o mesmo! Este é o segredo!”

Não existe ninguém que quando ajuda outra pessoa, não favoreça a si mesmo. A ajuda faz bem não só a quem recebe, senão também a quem proporciona.

Uma das coisas que minha mãe me ensinou desde que me conheço por gente, foi a ajudar aqueles que mais necessitam, por isso eu tive uma das mais gratificantes experiências da minha vida quando fui colaboradora voluntária na ONG “Fundação ULNA – Uma Luz no Amanha”, durante 15 anos.

O mundo está carente de pessoas solidárias. Não que elas não existam. Elas existem sim e estão nos quatro cantos do planeta terra. Fazem partes de todas as raças, de todas as classes sociais, porém existe um grande fator que as impedem de demonstrar solidariedade, chamado MEDO! Medo do envolvimento, medo do comprometimento, medo da exposição e medo do desconhecido. Este é o maior impeditivo que bloqueia grande parte das pessoas de demonstrar o seu melhor.

Agora eu falo especialmente para você! Tenha coragem!!! Tire as vendas dos olhos, abra os braços e principalmente o coração. Mostre seu grande valor. Alguém aí no seu lado, na sua casa, no seu bairro, na sua cidade, no seu trabalho, precisa de um sorriso, de um bom dia, de um obrigado, de uma mão amiga. E que seja a sua!

Um grande abraço e até o nosso próximo post!

 

palestrante-zilah-fioravanso-logo

 

Campos com * são obrigatórios